Pular para o conteúdo principal

Nossos Autores – Glória Perez


        Uma autora a frente do seu tempo. Foi através de suas novelas que conheci experiência científicas que só imaginava que existisse, como os bebês de proveta e os clones; conheci culturas que certamente jamais teria tempo para viajar e conhecer, com a cigana e mulçumana;  ou conhecer países como Marrocos, Índia e Turquia.  Enfim suas novelas são muito além do que uma história de amor entre dois protagonistas, são na verdade um novo universo que ela faz questão de mostrar a cada novo trabalho.
        É claro que eu estou falando da incomparável Glória Perez,  autora de clássicos como Barriga de Aluguel (1992), O Clone (2001) e Caminho das Índias (2009).
        Glória Perez nasceu em Rio Branco no Acre, e iniciou sua carreira como novelista em 1983, quando Janete Clair a convidou para colaborar na trama de Eu Prometo. Janete havia lido um episódio  para o Malu Mulher (1979), escrito por Glória que nunca tinha sido gravado. A Autora logo se identificou  com o texto de Glória e lhe deu um dos cargos mais almejados na época, ser “auxiliar” da maga das oito. Eu Prometo acabou sendo a  última novela de Janete, que morrera antes do término da trama. Coube a Glória Perez então finalizar a novela, e assim o fez, sendo muito elogiada pela Rede Globo por sua competência e profissionalismo.

        Como prêmio pelo trabalho em Eu Prometo, Glória ganhou em parceria com Aguinaldo Silva a próxima trama das oito: Partido Alto. Infelizmente a parceria não vingou, a incompatibilidade entre os autores  ficou nítida logo nas primeiras semanas da trama, e Aguinaldo  deixou Partido Alto apenas nas mãos da Glória.

        Em 1987, Glória Perez foi contratada pela  Rede Manchete onde escreveu sua primeira novela solo, a polêmica e obscura Carmem, que tinha Lucélia Santos,  a maior estrela global da época como protagonista fora da emissora. Carmem não foi um grande sucesso, mas provou que tinha fôlego para escrever uma trama sozinha com entrechos que seguravam o telespectador do início ao fim.

        A Década de 90 marcou o retorno de Glória Perez à Rede Globo. Seu primeiro trabalho de retorno foi a minissérie Desejo (1990), onde a autora contou a história do também escritor Euclydes da Cunha.


        Logo em seguida Glória levou ao ar a novela Barriga de Aluguel, que estava engavetada há quase 10 anos nos arquivos da autora. A trama contava a história de uma mãe que alugava a barriga para outra que não podia gerar um filho. Na época a prática ainda não era tão divulgada no país e a novela se transformou em sucesso através do público que se dividia entre Ana (Cássia Kiss Magro) e Clara (Cláudia Abreu) tentando  explicar qual delas era a verdadeira mãe de Carlinhos.  A novela transformou Glória em autora do primeiro time global ,  consagrando-a como uma autora que inovava em suas tramas.

        O sucesso em Barriga de Aluguel, fez com que Glória Perez ganhasse sua primeira trama solo no horário nobre global, a novela De Corpo e Alma (1992), que tinha como trama principal o transplante de coração e o Clube das Mulheres, boates com homens se despindo que começa virar moda no país na época. Infelizmente a novela foi marcada por um tragédia. Daniela Perez, filha da autora ,  foi brutalmente assassinada por um colega de elenco em 28 de dezembro de 1992. A Tragédia chocou o país, e Glória Perez mesmo abatida pela grande perda, conduziu a trama até seu final, como uma espécie de grande homenagem à filha.

        Em 1995, a autora volta ao horário nobre falando da cultura cigana e da comunicação através de redes sociais com os personagens Dara e Júlio Falcão, vividos pela Teresa Sseiblitz e Edson Celulari na trama de Explode Coração. A novela divulgou a cultura cigana nos quatro cantos do Brasil, e o figurino e adereços ciganos tomaram conta dos look´s das mulheres enquanto a novela esteve no ar. A trama foi marcada por outra novidade que a autora apresentou e que na época era considerada ainda apenas ficção científica, a comunicação entre as pessoas através das redes sociais, hoje prática comum.
 

        Glória fecha a década de 90 com a minissérie Hilda Furacão (1998), baseada no romance homônimo de Roberto Drummond. A minissérie foi um dos grandes sucesso do ano na teledramaturgia e marcou a estreia de Ana Paula Arósio na Rede Globo. No mesmo ano, a autora  escreveu o remake de um dos maiores sucesso da sua professora Janete Clair,  a novela Pecado Capital, apresentada no horário das seis com Carolina Ferraz, Eduardo Moscovis e Francisco Cuoco  nos papéis principais.

        A Cultura mulçumana e a clonagem humana entrava no ar  no horário nobre em 2001 com a trama de O Clone. A Trama estreou em outubro de 2001, cerca de três semanas depois dos ataques ao World Trade Center  no Estados Unidos. O Fato  causou um certo receio na Rede Globo, com medo de rejeição a trama que iria falar sobre a cultura mulçumana. Felizmente foi ao contrário, O Clone se transformou em um dos maiores sucessos do horário da década de 2000, consagrou seus protagonistas (Giovanna Antonelli, Murilo Benício e Débora Falabella) e sem dúvidas um marco na história da teledramaturgia nacional.  A certa altura da trama, o drama dos dependente químicos também se transformou em uma das histórias mais fortes da novela mostrada através da personagem Mel, vivida magistralmente pela atriz Débora Falabella.

        Em 2005, na trama de América, Glória Perez apresentou ao país a drama das pessoas que sonham em conquistar a América entrando ilegalmente nos Estados Unidos, através da protagonista Sol, da Déborah Secco. Mesclado a esse drama a novela mostrava o mundo e o submundo dos rodeios  no Brasil à fora através do peão Tião, vivido pelo Murilo Benício.

        Em Amazônia de Galvez à Chico Mendes, Glória Perez contou entre realidade e ficção a história de formação do seu estado de nascimento, O Acre, o último a ser anexado ao território brasileiro.

        Em 2009, Glória Perez trouxe para o Brasil o Emmy Internacional de Melhor Novela com a trama de Caminho das Índias, outro sucesso arrebatador da autora. A novela retratou e mostrou para o Brasil a cultura indiana através da personagem Maya, vivida pela Juliana Paes. A Novela discutiu outros temas polêmicos também dentro da trama  como a esquisofrênia através do personagem Tarso, vivido pelo Bruno Gagliasso e a psicopatia  com a Yvone, personagem da Letícia Sabatella.


        Em 2013, depois de supervisionar a minissérie O Canto da Sereia, dos autores George Moura  e Patrícia Andrade, a autora voltou às novelas nos levando em mais uma viagem inesquecível. Salve Jorge, mais um “voo” da autora, nos levou para a Turquia contando a história de Morena (Nanda Costa), uma jovem capturada pelo tráfico internacional de mulheres. Como salvador da jovem, a autora se inspirou na história do Santo Guerreiro São Jorge,  através do seu devoto Theo, personagem do Rodrigo Lombardi, o outro protagonista da trama. A novela foi uma ousadia da autora, começando pela escolha da protagonista. Nanda Costa não tinha aos olhos de muitos, o pedigree necessário para viver uma protagonista do horário nobre, ainda mais que essa personagem seria uma prostituta, embora fosse obrigada.  Foi difícil, mais depois de muitas mudanças de cabelos sempre mostradas pelos internautas mais atentos, Nanda Costa se firmou como a protagonista e terminou a novela adorada pelo público.  Salve Jorge é considerada a mais controvérsia novela da autora, e a mais criticada pelo público e pela imprensa que não engoliam situações inusitadas criadas pela autora.  A novela foi a primeira da Glória Perez  que eu acompanhei através das Redes Sociais, foi nessa época que entrei no #Twitter e comecei assistir e tuitar sobre a trama ao mesmo tempo. Talvez  essa nova “mídia” também tenha sido um dos causadores desse  sucesso/rejeição aos voos da autora.  

        Em 2014, a autora inovou novamente entrando no ramo dos seriados e apresentou  a trama de Dupla Identidade.  O seriado contava a história de perseguição a um serial killer. A Autora se inspirou em seriados americanos para criar a narrativa do seriado, e a Globo tinha a intenção de cativar  o público fã dessas series estrangeiras com a versão brasileira.  Bruno Gagliasso que pediu diretamente a autora para viver o protagonista se consagrou vivendo o serial killer.
        Até então Dupla Identidade é o último trabalho da autora na tv, mas Glória Perez já está na fila de novelas do horário nobre e volta em 2017 com a trama de A Flor da Pele, trama que vai substituir a trama de Maria Adelaide Amaral, que vai substituir Velho Chico, do Benedito Ruy Barbosa.
        A nova trama da autora vai falar sobre o mundo dos transexuais e já entrou em pré-produção. Será mais um voo ariscado da autora e que certamente vai chocar e ao mesmo tempo conscientizar o grande público sobre a total semelhança entre os seres humanos.

        É impossível assistir uma trama escrita por  Glória Perez e não ser tocado por seus assuntos polêmicos e sociais, a autora inclusive é um das que  mais  tem preocupação com esses temas sociais ao escrever um novo trabalho. Foi assim em Explode Coração  com o drama das crianças desaparecidas; o transplante de órgãos em De Corpo e Alma (1992); a clonagem humana e  as drogas em O Clone (2001); deficiência visual em América (2005); esquizofrenia em Caminho das Índias (2009) e tráfico de mulheres em Salve Jorge(2013) entre outras. 
        Glória é uma autora que busca algo além da simples audiência. Para ela esses números do IBOPE são primeiramente pessoas que estão ali em frente à tv em busca de entretenimento, mas que esse entretenimento pode ser mostrado com consciência e responsabilidade.
Fonte:
Texto : Evaldiano de Sousa
Pesquisa : teledramaturgia.com.br, memóriaglobo.com, wikipedia.com.br

Comentários

  1. A personagem da Déborah Falabella em "O Clone" se chamava Mel e não Léo como está aí no texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade ANÔNIMO, OBg. Já corrigi.
      A Débora Falabella foi Léo em #AgoraéqueSãoElas .

      Excluir

Postar um comentário

Post´s mais vistos

#tbt Estrela-Guia (2001)

Nesta segunda (06.07) é a vez de Estrela-Guia(2001), a novela da Sandy, entrar na Globoplay. Escrita pelaAna Maria Moretzsohn, a novela marcou o ano de 2001 no horário das seis, e claro que a trama foi escrita já pensando e especialmente para a Sandy. Na época, a dupla Sandy e Junior vivia o auge da carreira com shows lotados nos 4 cantos do Brasil, série aos domingos na Globo, enfim eram, com ainda são,os maiores ídolos teen. Para comemorar essa volta, o #tbt de hoje relembratudo sobre Estrela-Guia(2001), que o blog já postou. Vamos relembrar primeiro aqui, para na segunda-feira estarmos com todas as informações em dia para curtir a trama capítulo à capítulo.

Veja Também :  Fonte: Texto : Evaldiano de Sousa

“Novo Mundo” mostra com a virada desta semana por que foi aclamada em sua exibição original

Curiosamente a reprise de Novo Mundo, trama das seis, dos autores Alessandro Marson e Thereza Falcão, foi a única reprise que a Pandemia trouxe e que vem minguando na audiência, o que causou muito estranhamento, visto que a trama foi aclamada pela crítica e pelo público em sua exibição original. Porém esta semana a história passa por uma grande virada com a fuga de Anna (IsabelleDrumond) e Joaquim (Chay Suede), que com certeza é uma das sequência que mostram que a trama vale a pena sim ser vista novamente.

Várias cenas bem produzidas destacaram o trabalho de direção do Vinícius Coimbra no resgate épico da protagonista. Foram sequencia críveis, bem produzidas e dirigidas e que em nenhum momento soaram fake ou desnecessárias para a história. A Sequência fecha com Ana, Joaquim e família livres das vilanias de Thomas (Gabryel Braga Nunes) em um balão sobre o céu azul do Brasil. Tudo milimetricamente calculado.

Entre as cenas que em todos os momentos lembraram boas cenas do cinema american…

Perdemos Leonardo Villar !

Ator de “O Pagador de Promessas” morreu aos 96 anos

Leonardo Villar, ator de 96 anos, morreu na manhã desta sexta-feira (3) em São Paulo, vítima de uma parada cardíaca. A informação foi confirmada ao G1 por familiares dele. Com extensa carreira no teatro, na televisão e no cinema, Villar foi protagonista do filme O Pagador de Promessas(1962), dirigido por Anselmo Duarte, que deu projeção internacional ao ator eganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes.
Leonardo Villar é considerado um dos melhores atores brasileiros, sendo reverenciado inclusive entre os colegas de profissão. Porém nunca foi estrela, sempre foi avesso a badalações, e mesmo no auge da carreira na tv, se mantinha tímido e reservado. Na Tv estreou em 1965 na novela A Cor da SuaPele, na Rede Tupi, e daí em diante fez parte da história da teledramaturgia em novelas como Uma Rosa com Amor(1972), Os Ossos do Barão(1973), Escalada(1975), O Grito(1975), Estúpido Cupido(1976) e Coração Alado(1980).

Como não lembrar do Leonardo …

“A Força do Querer” é quase certa como a substituta de “Fina Estampa”

Já é dada quase como certa que, A Força do Querer, da Glória Perez, seja a reprise que vai substituir Fina Estampano horário nobre da Globo, segundo informações do Flávio Ricco, no R7.com. A Novela da Bibi Perigosa (JulianaPaes), a sereia Ritinha (Ísis Valverde) e a policial Geiza (Paolla Oliveira), exibida em 2017, foi um dos grandes fenômenos do horário , chegando inclusive aos números de audiência e repercussão de Avenida Brasil(2012).

Nas tramas paralelas de A Força do Querervale ressaltar o mérito da abordagem do drama dos transgêneros, através da personagem Ivana-Ivan, que revelou a talentosa atriz estreante Carol Duarte. Glória Perezfoi de uma responsabilidade e sutilezacom a história da personagem sendo aclamada pela crítica e grupos do gênero. Como contraponto da história de Ivana, a figura de Nonato, que se assumia travesti Elis Miranda, com o ator Silvero Pereira, outra boa revelação da trama. Nomes como Lília Cabral, Maria Fernanda Candido, Elizangela, Humberto Martins, Emí…

Simples, Real e Agil , “Diário de Um Confinado” é uma das melhores produções da pandemia

Que estamos precisando de uma válvula de escape, isso já é indiscutível, e no mínimo Diário de Um Confinado, nova série de humor da Globo e Globoplay,faz as vezes dessa válvula com maestria. A Série protagonizada e roteirizada pelo Bruno Mazzeo,e dirigida por Joana Jabace, esposa do Bruno, debochou de forma nivelar com simplicidade e a pura realidade do atual momento, que assim como o protagonista Murilo, nos vimos obrigados a ficar trancados dentro de casa, do dia pra noite, tendo que se adaptar aos mais variados tópicos, assim como a série foi dividida.
Outro ingrediente interessante de Diário de um Confinadoé a agilidade. Os episódios de pouco mais de 12 minutos , não cansam, muito pelo contrário, deixa você louco pra ver o seguinte, o seguinte e quando você menos espera terminou . . . deixando aquela vontade de ver a próxima temporada o mais rápido possível. Cativa mesmo! O Senso de responsabilidade da Pandemia também nãofoi esquecido. A série foi praticamente toda gravada no apar…

Enquete: Éramos Seis (1994) x As Pupilas do Senhor Reitor (1994). Qual você acompanhou e mais gosta?

Dois clássicos apresentados na teledramaturgia do SBT nos anos 90 - as novelas Éramos Seis,do Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, baseada no romance homônimo de Maria José Dupré e As Pupilas do Senhor Reitor, do Lauro César Muniz, baseada no romance homônimo do Júlio Diniz. Aquele ano de 1994 foi sem dúvidas o melhor para o SBT. Ambas as produções são citadas como uma das melhores e bem produzidas, com um elenco estrelar, que deu vida a personagens que marcariam para sempre a história da teledramaturgia. Eu confesso que não consigo escolher qual a melhor. Cada uma tem seus atrativos em comum e pontuais, enfim é uma tarefa difícil, mas vejam se podem se decidir.
·Éramos Seis (1994)
·As Pupilas do Senhor Reitor (1994)

Veja Também: Fonte: Texto : Evaldiano de Sousa

Meus Personagens Favoritos da Marina Ruy Barbosa

No auge dos seus 25 anos, Marina Ruy Barbosa é no mínimo um dos rostos mais conhecidos da sua geração. Com uma legião de seguidores nas redes sociais, é uma das artistas que mais vende, tendo seu sendo sinônimo de marcas como Eudora, Renault, Pantene, Colcci, Vivara entre outros, mas a cimade tudo Marina já pode ser considerada uma das melhores atrizes da sua geração também, sem sombra de dúvidas. Marina começou a atuar ainda criança, onde já chamava atenção, tanto pelas sardas e o cabelo ruivo, sua marca registrada, como pelo talento. Seu primeiro trabalho na tv foi em 2004, na trama de Começar de Novo,do autor Antônio Calmon e da Elizabeth Jhin, mas seu primeiro destaque na tv mesmo, ainda criança,foi a cativante Sabina de Belíssima(2005). Na trama,a menina viveu cenas emocionantes e fortes em parceria com Claudia Abreu, que vivia sua mãe, e Fernanda Montenegro, sua avó.



Criação da Globo, a atriz vem seguindo uma carreira estrelar na emissora, já tendo atuado em produções como Escrit…

Trilha Sonora Eterna – Felicidade Internacional (1991)

Em 1991,  Manoel Carlos  voltava à Globo com a trama de Felicidadeno horário das seis, oito anos depois  de ter saído pós a  traumática Sol de Verão(1982),  que culminou na morte do   protagonista e amigo do autor, Jardel Filho.         Baseada na obra  e universo  dos personagens  de Aníbal Machado como os contos Tati, a Garota , A Morte da porta-estandarte, Viagem aos seis de Duília e O PianoManoel Carlos voltou a falar do cotidiano e dramas simples e complexos envolvendo os vários tipos de perfis humanos , um estilo que ele iniciou em Baila Comigo (1981) e se perpetuaria em  tramas seguintes como História deAmor(1995), Por Amor (1997) , Laços de Família(200) entre outras. A Novela teve duas fases - a primeira que marca o encontro de Helena (Maitê Proença) e Álvaro (TonyRamos) emVila Feliz,Minas Gerais,estendeu-se até ocapítulo 79.Mesmo apaixonada por Álvaro, Helena casa-se com o engenheiro agrônomo Mário (Herson Capri). O Casamento dos dois fracassa e Helena fica grávida de Álvaro,…

e10blog no Instagran e no Twitter

Olá pessoal , a partir deste mês de marçoo e10blogentra oficialmente no Instagran e no Twitter. Na verdade nesses sete ano de e10blog sempre divulguei os post´s atravésdas minhas redes particulares @Evaldiano no Twitter e @evaldianodesousa no Instagran, mas a partir de entãoapesar de continuar divulgando lá, espero que vocês nos sigam também nas redes oficiais. Sigam lá !!!




Fonte: Texto: Evaldiano de Sousa

Trilha Sonora Eterna – De Corpo e Alma (1992)

Muito antes de passear por culturas diferentes e países distantes, Glória Perez mostrava os avanços da ciência através das suas novelas. Em 1990, marcou o horário das seis com Barriga de Aluguele graças ao sucesso da trama foi elevada ao posto de autora do horário nobre com De Corpo e Alma. A novela contava a história de amor entre Paloma, vivida pela Cristiana Oliveira, que chegava a Globo com ares de grande estrela depois do sucesso em Pantanal(1990), naextinta Rede Manchetee Diogo (Tarcísio Meira) a partir de um transplante de coração. Infelizmente a novela ficou marcada por uma tragédia. Em 28 de Dezembro de  1992, Daniela Perez  filha da autora e que vivia a personagem Yasmin na trama, foi brutalmente assassinada por seu  companheiro de trabalho, o ator Guilherme de Pádua, que vivia o personagem Bira. O Crime chocou e comoveu  o país.  Glória Perez, mesmo destruída pela perda da filha, ficou apenas  uma semana,e conseguiu concluir a trama, que até então é pouquíssima citada na hi…