Pular para o conteúdo principal

Aberturas das Novelas da Rede Manchete



        Para os mais jovens que não lembram, a Rede Manchete foi a emissora de tv criada por Adolpho Bloch em junho de 1983 e ficou no ar até 10 de maio de 1999.

        Lembro-me que quando criança, na década de 80, a Manchete  era a emissora que eu mais gostava de ver. Apresentava  uma programação ótima para as crianças,  como o Clube da Criança , que era apresentado  inicialmente pela Xuxa. Isso sem falar no Lupi Liplim Clapa Topô, apresentada pela LucinhaLins e seu segundo marido Cláudio Tovar.

        Logo no segundo ano de vida a Manchete resolveu investir em novelas e apresentou o remake do grande sucesso apresentado na rede Tupi em 1968, Antônio Maria do Geraldo Vietri. Mas foi com Dona Beija (1986), trama do Wilson Aguiar Filho, protagonizada por Maitê Proença,  que a emissora entrou no páreo pelo segundo lugar  na audiência.

        No post de hoje  vou relembrar  a abertura de   10  das 19 novelas que a    emissora  apresentou nesses quase 20 anos de existência.

Dona Beija (1986)
Abertura: Tema de Dona Beija – Wagner Tiso e Viva Voz




        Dona Beija foi o primeiro grande sucesso na teledramaturgia da Rede Manchete. A Emissora investiu pesado na produção da novela,  começando pela contratação de Maitê Proença, na época grande estrela da Rede Globo. O Forte entrecho novelístico e a ousada direção de Herval Hossano focando no erotismo  com destaque para as inesquecíveis cenas de nudez da Maitê, foram os pilares de Dona Beija.  A cena em que  Beija cavalga completamente nua em cima de uma cavalo branco é uma das mais emblemáticas e marcantes da trama. Dona Beija foi baseada  nos romances Dona Beija, a Feiticeira do Araxá, de Thomas Leonardos e A Vida em Flor de Dona de Beija, da Agripa Vasconcellos.  A trama foi reprisada por três vezes, duas na própria Rede Manchete em 1988 e 1992 e depois pelo SBT, quando a emissora do Silvio Santos comprou os direitos da massa falida da Rede Manchete em 2009.


Corpo Santo (1987)
Tema de Abertura: Um Lugar no MundoRoupa Nova



        Querendo dar  continuidade ao sucesso de Dona Beija, a Manchete continuou investindo pesado e produziu Corpo Santo, novela do autor José Louzeiro e Cláudio Macdowell. A trama mostrava uma temática com um  estilo de novela mais reportagem,   enfocando o dia-a-dia dos personagens sem esquecer a mágica da ficção.  Corpo Santo também trouxe nomes fortes da teledramaturgia da Globo para  protagonistas: Reginaldo Faria e Christiane Torloni.  A novela foi criticada na época por apresentar uma trama muito “barra-pesada” que desagradava o público da emissora. No decorrer da trama os autores foram substituídos por  Wilson Aguiar Filho  e a colaboradora Leila Micollis. Com isso a Manchete contornou os problemas e a novela teve um relativo sucesso garantindo sempre o segundo lugar no IBOPE. Corpo Santo foi eleita pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte)  a melhor novela de 1987.


Carmem (1987)
Tema de Abertura:  Habanera (da Ópera “Carmem”) 



        A Manchete continuou apostando alto e contratou LucéliaSantos, estrela maior da Globo na época pelo sucesso na novela Escrava Isaura (1976), e recém saída de Sinhá Moça (1986), para imortalizar a emblemática  personagem de Merimée e Bizet, Carmem  pelas mãos da Glória Perez. Era estreia da autora com escritora solo oficialmente, antes  havia terminada de escrever Eu Prometo (1983) quando  JaneteClair morreu,  e dividido Partido Alto (1984) com o AguinaldoSilva.   A Autora  mostrou que tinha fôlego para segurar uma trama  e despertar o interesse do público. Em uma época em que a AIDS ainda era vista com muito preconceito,  tratou da doença através da personagem Rosimar (Theresa Amayo), infectada com o vírus de HIV quando fez uma transfusão.


Tema de Abertura – Minha –Misty



        Um painel carioca dos anos 30, num projeto ousado da emissora que chegou ao requinte de reconstruir uma réplica perfeita da Praça XI. A Novela misturava ficção com realidade tendo como pano de fundo  o movimento musical dos anos 30. Wilson Aguiar Filho soube costurar com maestria  o folhetim aos principais acontecimentos da história do país na década enfocada.
        Kananga do Japão é considerada a melhor novela em termos técnicos apresentadas pela Rede Manchete e que tinha a direção cirúrgica da Tizuka Yamazaki.
        No elenco ,   Christiane Torloni como protagonista  foi impecável na pele da bela Dora. A trama trazia ainda   Cassiano Ricardo e Bettina Vianny encarnando Carlos Prestes e Olga Benário.


Pantanal (1990)
Tema de Abertura: Pantanal - Sagrado Coração da Terra



        Pantanal, do BeneditoRuy Barbosa, foi o grande fenômeno da teledraturgia apresentado pela Rede Manchete. A novela foi a primeira a abalar os alicerces dos padrões globais. A emissora carioca era líder absoluta desde que se firmou na metade da década de 70, e imaginar que uma novela de uma emissora recente ultrapassasse seus índices era inaceitável. Na  época,  a Globo apresentava a trama de Rainha da Sucata , do autor Silvio de Abreu.
        Curiosamente,  Pantanal estava engavetada na Globo há anos, a emissora não viu viabilidade em uma trama gravada em pleno Pantanal. Jayme Monjardim , na época diretor de teledramaturgia da Manchete,  comprou a briga e produziu uma das melhores novelas da história da tv.

        A trama primou pelas belas paisagens pantaneiras, onças, pássaros, e claro a sensualidade através dos banhos inesquecíveis de Juma e Guta, as personagens da Cristiana Oliveira e Luciene Adami.
        Cristiana Oliveira se transformou em estrela de primeira grandeza depois de viver a protagonista Juma, que se transformava em onça a beira  do rio.
        Depois do sucesso de Pantanal , Benedito Ruy Barbosa foi elevado ao primeiro escalão de autores da Globo, pulando do horário das seis para o nobre com sucessos como Renascer(1993), O Rei doGado (1996) e Terra Nostra (1999).


Tema de Abertura: Raio e Trovão – Sagrado Coração da  Terra



        Um novelão levado  ao pé da letra. A História de Ana Raio e Zé Trovão, dos autores Marcos Caruso (O Pedrinho de Pega-Pega) e Rita Buzzar , trouxe a telinha o mundo dos rodeios, e isso imprimiu um ar diferente ao folhetim que tinha essa temática itinerante e um numeroso  elenco entre fixos e participações especiais de atores circenses, cantores e outros artistas.

        Depois do sucesso de Pantanal, saiam as paisagens pantaneiras  e a Manchete investia na ideia de mostrar o “Brasil que o Brasil não conhece”  com  rodeios e músicas sertanejas  como pano de fundo. As tramas iriam surgindo ao longo das estradas brasileiras, sem uma temática predeterminada ou uma história definida antecipadamente. 

        A Novela não tinha cenas de estúdios, tudo era gravado nas cidades por onde os rodeios e as caravanas passavam, além das feiras cenográficas criadas especialmente para a história.

        Acho que o único pecado de A História de Ana Raio e Zé Trovão foi o fraco apelo folhetinesco da trama que se arrastou   nos 251 capítulos da trama itinerante.


Amazônia (1991)
Tema de Abertura:
Primeira Parte: Eldorado  -Sagrado Coração da Terra e participação especial do Milton Nascimento
Segunda Parte: Casa das Andorinhas – Música instrumental de Egberto Gismonti



“Viver em dois tempos ao mesmo tempo. Romper 100 anos em 1 segundo” 

        Esse foi o slogan de divulgação de Amazônia, trama dos autores Jorge Duran, Denise Bandeira e Regina Braga.

        Amazônia seguia o mesmo estilo de Pantanal, tendo desta vez a floresta Amazônica como pano de fundo. Porém os esforços foram em vão e a trama acabou não sendo bem recebida pelo público. Com a tentativa de salvar Amazônia, foi lançada um segunda  parte da novela focando a história  apenas na trama do passado, visto que a história inicialmente era contada em dois tempos,  1899 e no futurista ano de 2010.

        Amazônia trazia em seu elenco nomes que brilhariam na Globo logo nos anos seguintes: Cristiana Oliveira, Marcos Palmeira, Helena Ranaldi  e Júlia Lemmertz.


Tocaia Grande (1995)
Tema de Abertura: O VentoOswaldo Montenegro


      
        Com uma produção de mais de 8 milhões , em 1995 a Manchete apresentou a trama de TocaiaGrande, dos autores Mário Teixeira, Duca Rachid e Marcos Lazarini, baseados no romance homônimo de Jorge Amado.

Tocaia Grande contava a  história da fundação de uma cidade no sul da Bahia numa época em que as plantações de cacau eram adubadas com sangue. A disputa pela terra e pelo domínio político entre os coronéis Boaventura Amaral (Carlos Alberto)  e Elias Daltro (Leonardo Villar).

 Com os resultados negativos da trama, Adolpho Bloch resolveu trocar a direção da novela e chamou Walter Avancini para “salvar” Tocaia Grande. Uma  das primeira providencias de Avancini foi chamar Walter George Durst para escrever a novela a partir de então,  criou novos personagens, enxugou o elenco, e claro inseriu bem mais sensualidade as sequencias da novela.

Mesmo sem chegar aos 22 pontos sonhados por Adolpho, Tocaia Grande se recuperou e terminou com uma audiência satisfatória, considerando o fato de estar sendo vinculada pela Rede Manchete. A trama deu uma injeção de patrocínio à emissora, que nos 11 meses de exibição da trama produziu vários outros programas dando uma boa revitalizada na grade de programação da trama.

Pela primeira vez na história da Justiça do Trabalho, uma novela foi dada como garantia para pagamento de dívidas. No processo movido, em 1998, por funcionários da  extinta Rede Manchete, Tocaia Grande avaliada em 5 milhões, foi oferecida como penhora  pela empresa Bloch Som e Imagem.


Xica da Silva (1996)
Tema de Abertura (Na exibição Original da Manchete): Xica RainhaPatrícia Amaral, Marcus Viana e Transfônica Orkestra
Tema de Abertura (Na reprise do SBT, em 2005): Xica da  SilvaJorge Benjor




        O prestígio e terceiro lugar isolado, a Rede Manchete só voltou a ter novamente em 1996, quando exibiu o fenômeno Xica da Silva, do autor Walcyr Carrrasco (sob o pseudônimo de Adamo Angel) baseado no romance Xica que Manda de Agripa Vasconcellos.

        Com forte apelo erótico, Xica da Silva é considerada um clássico dentro da emissora, consagrou  Walcyr Carrasco,  na época contratado pelo SBT, e por isso o pseudônimo para assinar a trama; e Tais Araújo que na  pele da escrava foi alçada ao posto de grande estrela, e logo que terminou a novela foi contratada pela Rede Globo.

        A Atriz ainda era menor quando começou gravar a trama e assim não poderia aparecer em cenas de nudez. Enquanto não podia despir Tais, a trama exibiu a nudez de várias outras atrizes em destaque  Adriana Galisteu, quem mais apareceu nessas condições na novela. Os dezoitos anos da  Tais Araújo foi comemorado em alto estilo. Depois de 50 capítulos,  finalmente a nudez completa de Xica da Silva em uma banho de cachoeira no capítulo de 02.12.1996.

        Com primorosa e caprichada direção de Avancini, Xica da Silva foi uma novela empolgante, forte, sensual, realista, e não poupou em cenas de violência explícita. São inúmeras as seqüências de assassinatos, execuções, e até torturas. Um dos fortes momentos da novela aparece quando Maria (Zezé Motta), mãe de Xica, é morta, tendo seus braços e pernas amarrados a quatro cavalos que, assustados por um tiro, correm em direções contrárias, esquartejando o corpo da negra em plena praça pública. Além dessa, as cenas que envolviam as bruxarias de Benvinda (Míriam Pires) e Violante (Drica Moraes) também não economizaram em tecnologia e realismo.

        Além de Taís Araújo, Giovanna Antonelli e Drica Moraes Drica Moraestiveram destaque na novela e logo em seguida   voltaram para a Globo com status de grande estrela.


Mandaracu (1997)



        Mandacaru, planta que nasce no sertão, batizou essa história que tinha o cangaço como tema, retratando os costumes e discutindo questões de terra e que completa 20 anos neste sábado (12.08). A Trama do autor Carlos Alberto Ratton foi a penúltima novela apresentada pela Rede Manchete, que já passava pela crise que a levaria à falência em 1999.  Depois de Mandacaru a emissora ainda produziu Brida, inspirada no livro de Paulo Coelho, mas que acabou não sendo finalizada.
        A novela teve pouca repercussão, porém mesmo assim  apresentou 259 capítulos e é uma das mais longas novelas da emissora. Devido à crise financeira que a Manchete enfrentava não  teve condições de produzir rapidamente uma substituta no horário e esticou Mandacaru até onde pode.
Para segurar esse “esticamento” a novela  cortou vários personagens e trouxe várias participações de luxo como Marília Pêra, Agildo Ribeiro, Elba Ramalho, Tânia Alves, Roberta Close e uma versão de Lampião e Maria Bonita vivida pelos cantoresAlceu Valença e Daniela Mercury.
Para justificar a duração, a trama central inicial deu lugar a uma nova história, onde o personagem Zebedeu do Benvindo Siqueira,  tornou-se o protagonista, dando mais ênfase ao humor na produção.
A novela tinha uma boa temática e com o cuidado certo talvez  tivesse repetido o sucesso de  Xica da Silva (1996), a trama anterior no horário. Isso ficou ainda mais claro quando a Rede Bandeirantes  comprou os direitos de exibição da trama da massa falida da Manchete e reapresentou em 217 capítulos , marcada por um audiência maior do que a da exibição original.

Fonte:
Texto: Evaldiano de Sousa



Comentários

Post´s mais vistos

#tbt Estrela-Guia (2001)

Nesta segunda (06.07) é a vez de Estrela-Guia(2001), a novela da Sandy, entrar na Globoplay. Escrita pelaAna Maria Moretzsohn, a novela marcou o ano de 2001 no horário das seis, e claro que a trama foi escrita já pensando e especialmente para a Sandy. Na época, a dupla Sandy e Junior vivia o auge da carreira com shows lotados nos 4 cantos do Brasil, série aos domingos na Globo, enfim eram, com ainda são,os maiores ídolos teen. Para comemorar essa volta, o #tbt de hoje relembratudo sobre Estrela-Guia(2001), que o blog já postou. Vamos relembrar primeiro aqui, para na segunda-feira estarmos com todas as informações em dia para curtir a trama capítulo à capítulo.

Veja Também :  Fonte: Texto : Evaldiano de Sousa

“Novo Mundo” mostra com a virada desta semana por que foi aclamada em sua exibição original

Curiosamente a reprise de Novo Mundo, trama das seis, dos autores Alessandro Marson e Thereza Falcão, foi a única reprise que a Pandemia trouxe e que vem minguando na audiência, o que causou muito estranhamento, visto que a trama foi aclamada pela crítica e pelo público em sua exibição original. Porém esta semana a história passa por uma grande virada com a fuga de Anna (IsabelleDrumond) e Joaquim (Chay Suede), que com certeza é uma das sequência que mostram que a trama vale a pena sim ser vista novamente.

Várias cenas bem produzidas destacaram o trabalho de direção do Vinícius Coimbra no resgate épico da protagonista. Foram sequencia críveis, bem produzidas e dirigidas e que em nenhum momento soaram fake ou desnecessárias para a história. A Sequência fecha com Ana, Joaquim e família livres das vilanias de Thomas (Gabryel Braga Nunes) em um balão sobre o céu azul do Brasil. Tudo milimetricamente calculado.

Entre as cenas que em todos os momentos lembraram boas cenas do cinema american…

Perdemos Leonardo Villar !

Ator de “O Pagador de Promessas” morreu aos 96 anos

Leonardo Villar, ator de 96 anos, morreu na manhã desta sexta-feira (3) em São Paulo, vítima de uma parada cardíaca. A informação foi confirmada ao G1 por familiares dele. Com extensa carreira no teatro, na televisão e no cinema, Villar foi protagonista do filme O Pagador de Promessas(1962), dirigido por Anselmo Duarte, que deu projeção internacional ao ator eganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes.
Leonardo Villar é considerado um dos melhores atores brasileiros, sendo reverenciado inclusive entre os colegas de profissão. Porém nunca foi estrela, sempre foi avesso a badalações, e mesmo no auge da carreira na tv, se mantinha tímido e reservado. Na Tv estreou em 1965 na novela A Cor da SuaPele, na Rede Tupi, e daí em diante fez parte da história da teledramaturgia em novelas como Uma Rosa com Amor(1972), Os Ossos do Barão(1973), Escalada(1975), O Grito(1975), Estúpido Cupido(1976) e Coração Alado(1980).

Como não lembrar do Leonardo …

“A Força do Querer” é quase certa como a substituta de “Fina Estampa”

Já é dada quase como certa que, A Força do Querer, da Glória Perez, seja a reprise que vai substituir Fina Estampano horário nobre da Globo, segundo informações do Flávio Ricco, no R7.com. A Novela da Bibi Perigosa (JulianaPaes), a sereia Ritinha (Ísis Valverde) e a policial Geiza (Paolla Oliveira), exibida em 2017, foi um dos grandes fenômenos do horário , chegando inclusive aos números de audiência e repercussão de Avenida Brasil(2012).

Nas tramas paralelas de A Força do Querervale ressaltar o mérito da abordagem do drama dos transgêneros, através da personagem Ivana-Ivan, que revelou a talentosa atriz estreante Carol Duarte. Glória Perezfoi de uma responsabilidade e sutilezacom a história da personagem sendo aclamada pela crítica e grupos do gênero. Como contraponto da história de Ivana, a figura de Nonato, que se assumia travesti Elis Miranda, com o ator Silvero Pereira, outra boa revelação da trama. Nomes como Lília Cabral, Maria Fernanda Candido, Elizangela, Humberto Martins, Emí…

Simples, Real e Agil , “Diário de Um Confinado” é uma das melhores produções da pandemia

Que estamos precisando de uma válvula de escape, isso já é indiscutível, e no mínimo Diário de Um Confinado, nova série de humor da Globo e Globoplay,faz as vezes dessa válvula com maestria. A Série protagonizada e roteirizada pelo Bruno Mazzeo,e dirigida por Joana Jabace, esposa do Bruno, debochou de forma nivelar com simplicidade e a pura realidade do atual momento, que assim como o protagonista Murilo, nos vimos obrigados a ficar trancados dentro de casa, do dia pra noite, tendo que se adaptar aos mais variados tópicos, assim como a série foi dividida.
Outro ingrediente interessante de Diário de um Confinadoé a agilidade. Os episódios de pouco mais de 12 minutos , não cansam, muito pelo contrário, deixa você louco pra ver o seguinte, o seguinte e quando você menos espera terminou . . . deixando aquela vontade de ver a próxima temporada o mais rápido possível. Cativa mesmo! O Senso de responsabilidade da Pandemia também nãofoi esquecido. A série foi praticamente toda gravada no apar…

Enquete: Éramos Seis (1994) x As Pupilas do Senhor Reitor (1994). Qual você acompanhou e mais gosta?

Dois clássicos apresentados na teledramaturgia do SBT nos anos 90 - as novelas Éramos Seis,do Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, baseada no romance homônimo de Maria José Dupré e As Pupilas do Senhor Reitor, do Lauro César Muniz, baseada no romance homônimo do Júlio Diniz. Aquele ano de 1994 foi sem dúvidas o melhor para o SBT. Ambas as produções são citadas como uma das melhores e bem produzidas, com um elenco estrelar, que deu vida a personagens que marcariam para sempre a história da teledramaturgia. Eu confesso que não consigo escolher qual a melhor. Cada uma tem seus atrativos em comum e pontuais, enfim é uma tarefa difícil, mas vejam se podem se decidir.
·Éramos Seis (1994)
·As Pupilas do Senhor Reitor (1994)

Veja Também: Fonte: Texto : Evaldiano de Sousa

Meus Personagens Favoritos da Marina Ruy Barbosa

No auge dos seus 25 anos, Marina Ruy Barbosa é no mínimo um dos rostos mais conhecidos da sua geração. Com uma legião de seguidores nas redes sociais, é uma das artistas que mais vende, tendo seu sendo sinônimo de marcas como Eudora, Renault, Pantene, Colcci, Vivara entre outros, mas a cimade tudo Marina já pode ser considerada uma das melhores atrizes da sua geração também, sem sombra de dúvidas. Marina começou a atuar ainda criança, onde já chamava atenção, tanto pelas sardas e o cabelo ruivo, sua marca registrada, como pelo talento. Seu primeiro trabalho na tv foi em 2004, na trama de Começar de Novo,do autor Antônio Calmon e da Elizabeth Jhin, mas seu primeiro destaque na tv mesmo, ainda criança,foi a cativante Sabina de Belíssima(2005). Na trama,a menina viveu cenas emocionantes e fortes em parceria com Claudia Abreu, que vivia sua mãe, e Fernanda Montenegro, sua avó.



Criação da Globo, a atriz vem seguindo uma carreira estrelar na emissora, já tendo atuado em produções como Escrit…

Trilha Sonora Eterna – Felicidade Internacional (1991)

Em 1991,  Manoel Carlos  voltava à Globo com a trama de Felicidadeno horário das seis, oito anos depois  de ter saído pós a  traumática Sol de Verão(1982),  que culminou na morte do   protagonista e amigo do autor, Jardel Filho.         Baseada na obra  e universo  dos personagens  de Aníbal Machado como os contos Tati, a Garota , A Morte da porta-estandarte, Viagem aos seis de Duília e O PianoManoel Carlos voltou a falar do cotidiano e dramas simples e complexos envolvendo os vários tipos de perfis humanos , um estilo que ele iniciou em Baila Comigo (1981) e se perpetuaria em  tramas seguintes como História deAmor(1995), Por Amor (1997) , Laços de Família(200) entre outras. A Novela teve duas fases - a primeira que marca o encontro de Helena (Maitê Proença) e Álvaro (TonyRamos) emVila Feliz,Minas Gerais,estendeu-se até ocapítulo 79.Mesmo apaixonada por Álvaro, Helena casa-se com o engenheiro agrônomo Mário (Herson Capri). O Casamento dos dois fracassa e Helena fica grávida de Álvaro,…

Trilha Sonora Eterna – De Corpo e Alma (1992)

Muito antes de passear por culturas diferentes e países distantes, Glória Perez mostrava os avanços da ciência através das suas novelas. Em 1990, marcou o horário das seis com Barriga de Aluguele graças ao sucesso da trama foi elevada ao posto de autora do horário nobre com De Corpo e Alma. A novela contava a história de amor entre Paloma, vivida pela Cristiana Oliveira, que chegava a Globo com ares de grande estrela depois do sucesso em Pantanal(1990), naextinta Rede Manchetee Diogo (Tarcísio Meira) a partir de um transplante de coração. Infelizmente a novela ficou marcada por uma tragédia. Em 28 de Dezembro de  1992, Daniela Perez  filha da autora e que vivia a personagem Yasmin na trama, foi brutalmente assassinada por seu  companheiro de trabalho, o ator Guilherme de Pádua, que vivia o personagem Bira. O Crime chocou e comoveu  o país.  Glória Perez, mesmo destruída pela perda da filha, ficou apenas  uma semana,e conseguiu concluir a trama, que até então é pouquíssima citada na hi…

e10blog no Instagran e no Twitter

Olá pessoal , a partir deste mês de marçoo e10blogentra oficialmente no Instagran e no Twitter. Na verdade nesses sete ano de e10blog sempre divulguei os post´s atravésdas minhas redes particulares @Evaldiano no Twitter e @evaldianodesousa no Instagran, mas a partir de entãoapesar de continuar divulgando lá, espero que vocês nos sigam também nas redes oficiais. Sigam lá !!!




Fonte: Texto: Evaldiano de Sousa