Pular para o conteúdo principal

Meus Personagens Favoitos da Juliana Paes


        Juliana Paes voltou às novelas nesta segunda-feira (09.11) na pele da sofisticada e sensual Carolina, na nova novela das sete, Totalmente Demais, dos autores Paulo Halm e Rosane Svatman. Mais uma protagonista para o currículo dessa já considerada grande atriz brasileira
        Juliana Paes, que é modelo e formada em publicidade, no início da carreira ficou marcada em papéis que exploravam sua beleza e sensualidade. As personagens sensuais a levaram para a capa da revista Playboy, comerciais de cerveja e ao sambódromo do Rio de Janeiro como Madrinha de Bateria de Escola de Samba, reinando absoluta.
        Aos poucos  Juliana Paes foi provando que era muito mais do que uma bela atriz. Seu talento saltava os olhos, e que olhos, a cada novo personagem chegando ao seu ápice quando viveu a Maya de Caminho das Índias, sua primeira protagonista em horário nobre.
        Juliana Paes também é apresentadora. Estreou  em 2010 no reality Por Um Fio da GNT e em 2014 apresentou a nova versão do Globo de Ouro para o Canal Viva ao lado do Márcio Garcia.
        Para comemorar o retorno da Juliana as novelas, o post de hoje vai relembrar suas personagens mais marcantes na tv.

Ritinha de Laços de Família (2000)
lacosdefamilia_logo

        Juliana Paes estreou na trama de Laços de Família, do autor Manoel Carlos, vivendo a empregada Ritinha. Como já sabemos as empregadas das tramas do Maneco sempre tem um destaque maior do que em outras novelas. Talvez se fosse  novela de outro autor, a Juliana Paes tivesse passado despercebida por Laços de Família, mas o autor viu que a atriz tinha potencial e criou uma trama especial para a Ritinha. Na trama, a linda empregada chamava atenção do patrão,  Danilo (Alexandre Borges). Os dois se envolveram  e ela acaba engravidando . No dia do nascimento dos bebês, Ritinha morre no parto e os gêmeos que ela teve acabam sendo criado pelo amante e sua esposa Alma (Marieta Severo).  A Saída prematura da novela não lhe prejudicou em nada. No ano seguinte ela já emplacava outro papel no horário nobre, na trama de O Clone, da Glória Perez, já com um destaque maior.

Tieniaguá de A Casa das Sete Mulheres (2003)
casadassete_logo

        Na elogiadíssima minissérie A Casa das Sete Mulheres, escrita por Maria Adelaide Amaral, baseada no romance homônimo de Letícia Wiezchowski, Juliana Paes deu vida a figura história do Sul do país, a Tieniaguá. O conto A Salamandra do Jarau, de Simões Lopes Neto, foi inserido na minissérie  através da relação de Bento Manoel (Luís Mello) com a Teiniaguá. Diz-se que o personagem histórico Bento Manoel tinha um pacto com o diabo. Segundo o autor, as terras do Jarau pertenciam a Bento Manoel e corria na época que a boa sorte dele se devia a um pacto feito com o demônio através da figura folclórica da Teiniaguá. Juliana Paes não deu uma só palavra na minissérie, e isso só tornou seu trabalho ainda mais caro e importante, afinal teve que transmitir suas ações através  apenas de olhares e gestos.

Jaqueline Joy de Celebridade (2003)
celebridade_logo

        Em Celebridade, novela do autor Gilberto Braga, Juliana Paes deu vida a esfuziante Jaqueline Joy, uma aspirante a modelo, artista, atriz . . .qualquer coisa que pudesse lhe colocar nos holofotes da fama. A personagem deu para Juliana Paes maior projeção se tornando ao lado de Déborah Secco, que viveu a Darlene, em símbolo sexual. Foi a Jacque Joy que deu  para a Juliana Paes a capa da Playboy de maio de 2004, uma das edições mais vendidas da publicação. Em uma das  cenas de maior destaque da novela Jaqueline arma um assalto para si mesma só para brilhar na mídia. Tomando sol na praia Jaqueline é assaltada e deixada pelada na areia.

Creusa de América (2005)
america_logo

        Outra personagem sensual que a Juliana Paes viveu em novelas foi a Creusa de América, da autora Glória Perez. Inicialmente Creusa fingia ser  uma recatada evangélica, mas na verdade se  transformava em um furacão em forma de mulher seduzindo os homens e os levando a loucura. No decorrer da trama Creusa se casa com Feitosa, personagem do Ailton Graça, mas isso não a impede de continuar “atacando” os homens. A atitude de Creusa acabou rendendo ao Feitosa o apelido de “Corno” virando sinônimo de marido traído nos quatro cantos do Brasil. Enquanto a novela esteve no ar ninguém queria ser chamado de Feitosa!

Gui de Pé na Jaca  (2006)
penajaca_logo

        Muitos não lembram, mas a primeira protagonista da Juliana Paes não foi a Maya de Caminho das Índias e sim a Gui de Pé na Jaca, novela do autor Carlos Lombardi. Na trama, Juliana pode exercitar ao máximo sua veia cômica nos proporcionando cenas hilárias em parceria com Murilo Benício, seu par romântico na trama.      

Maya de Caminho das Índias (2009)
caminhodasindias_logo

        Em 2009, Juliana Paes ganhou então sua primeira protagonista em horário nobre. A Maya de Caminho das Índias, da autora Glória Perez, foi o divisor de águas da carreira da atriz. A Mocinha indiana rendeu vários elogios para Juliana  e um lugar no hall das grandes atrizes globais. A Química entre ela e Rodrigo Lombardi tomou o público de assalto que torceu pelo final feliz do casal. Para viver a Maya, Juliana Paes abandonou a personagem Maíra que ela vivia em  A Favorita (2008), a trama anterior no horário. A personagem morreu  e Juliana Paes no dia seguinte assumiu a Maya. Uma decisão mais do que acertada.

Gabriela de Gabriela (2012)
gabriela2012_logo

        “Juliana é meio Gabriela!”  Foi com essa frase que o diretor Mauro Mendonça Filho encerrou a polêmica em torno da escolha de Juliana Paes para reviver a personagem Gabriela, do Jorge Amado, imortalizada por Sônia Braga  em 1975, quando a Globo resolveu fazer o remake da trama em 2012. Muitos achavam Juliana muito velha para viver a personagem. Mas  tão logo a trama entrou no ar esse receio foi  por água abaixo, Juliana Paes deu um show na pele da simples e sensual personagem e em nenhum momento comprometeu seu desenvolvimento.   Não seria nenhum exagero dizer que hoje na memória dos telemaniácos existem duas Gabrielas – A da Sônia Braga de 1975  e a da Juliana Paes de 2012.

Catarina de Meu Pedacinho de Chão (2014)
meupedacinho14
        Em 2014, no remake de Meu Pedacinho de Chão, do autor Benedito Ruy Barbosa, Juliana Paes teve que se transformar em uma caipira estilizada lúdica. A Catarina,  personagem que a atriz viveu, foi um dos grandes destaques da novela com seus trejeitos e a risada inconfundível. Foi um personagem diferente de tudo que a atriz já havia feito antes, e por isso mesmo mostrou mais uma faceta do seu talento que só cresce a cada  novo trabalho.



Fonte:
Texto : Evaldiano de Sousa


Pesquisa : Teledramaturgia.com, memóriaglobo.com, trilhasdanovela.blogspost.com  

Comentários

Post´s mais vistos

#tbt Estrela-Guia (2001)

Nesta segunda (06.07) é a vez de Estrela-Guia(2001), a novela da Sandy, entrar na Globoplay. Escrita pelaAna Maria Moretzsohn, a novela marcou o ano de 2001 no horário das seis, e claro que a trama foi escrita já pensando e especialmente para a Sandy. Na época, a dupla Sandy e Junior vivia o auge da carreira com shows lotados nos 4 cantos do Brasil, série aos domingos na Globo, enfim eram, com ainda são,os maiores ídolos teen. Para comemorar essa volta, o #tbt de hoje relembratudo sobre Estrela-Guia(2001), que o blog já postou. Vamos relembrar primeiro aqui, para na segunda-feira estarmos com todas as informações em dia para curtir a trama capítulo à capítulo.

Veja Também :  Fonte: Texto : Evaldiano de Sousa

“Novo Mundo” mostra com a virada desta semana por que foi aclamada em sua exibição original

Curiosamente a reprise de Novo Mundo, trama das seis, dos autores Alessandro Marson e Thereza Falcão, foi a única reprise que a Pandemia trouxe e que vem minguando na audiência, o que causou muito estranhamento, visto que a trama foi aclamada pela crítica e pelo público em sua exibição original. Porém esta semana a história passa por uma grande virada com a fuga de Anna (IsabelleDrumond) e Joaquim (Chay Suede), que com certeza é uma das sequência que mostram que a trama vale a pena sim ser vista novamente.

Várias cenas bem produzidas destacaram o trabalho de direção do Vinícius Coimbra no resgate épico da protagonista. Foram sequencia críveis, bem produzidas e dirigidas e que em nenhum momento soaram fake ou desnecessárias para a história. A Sequência fecha com Ana, Joaquim e família livres das vilanias de Thomas (Gabryel Braga Nunes) em um balão sobre o céu azul do Brasil. Tudo milimetricamente calculado.

Entre as cenas que em todos os momentos lembraram boas cenas do cinema american…

Perdemos Leonardo Villar !

Ator de “O Pagador de Promessas” morreu aos 96 anos

Leonardo Villar, ator de 96 anos, morreu na manhã desta sexta-feira (3) em São Paulo, vítima de uma parada cardíaca. A informação foi confirmada ao G1 por familiares dele. Com extensa carreira no teatro, na televisão e no cinema, Villar foi protagonista do filme O Pagador de Promessas(1962), dirigido por Anselmo Duarte, que deu projeção internacional ao ator eganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes.
Leonardo Villar é considerado um dos melhores atores brasileiros, sendo reverenciado inclusive entre os colegas de profissão. Porém nunca foi estrela, sempre foi avesso a badalações, e mesmo no auge da carreira na tv, se mantinha tímido e reservado. Na Tv estreou em 1965 na novela A Cor da SuaPele, na Rede Tupi, e daí em diante fez parte da história da teledramaturgia em novelas como Uma Rosa com Amor(1972), Os Ossos do Barão(1973), Escalada(1975), O Grito(1975), Estúpido Cupido(1976) e Coração Alado(1980).

Como não lembrar do Leonardo …

“A Força do Querer” é quase certa como a substituta de “Fina Estampa”

Já é dada quase como certa que, A Força do Querer, da Glória Perez, seja a reprise que vai substituir Fina Estampano horário nobre da Globo, segundo informações do Flávio Ricco, no R7.com. A Novela da Bibi Perigosa (JulianaPaes), a sereia Ritinha (Ísis Valverde) e a policial Geiza (Paolla Oliveira), exibida em 2017, foi um dos grandes fenômenos do horário , chegando inclusive aos números de audiência e repercussão de Avenida Brasil(2012).

Nas tramas paralelas de A Força do Querervale ressaltar o mérito da abordagem do drama dos transgêneros, através da personagem Ivana-Ivan, que revelou a talentosa atriz estreante Carol Duarte. Glória Perezfoi de uma responsabilidade e sutilezacom a história da personagem sendo aclamada pela crítica e grupos do gênero. Como contraponto da história de Ivana, a figura de Nonato, que se assumia travesti Elis Miranda, com o ator Silvero Pereira, outra boa revelação da trama. Nomes como Lília Cabral, Maria Fernanda Candido, Elizangela, Humberto Martins, Emí…

Simples, Real e Agil , “Diário de Um Confinado” é uma das melhores produções da pandemia

Que estamos precisando de uma válvula de escape, isso já é indiscutível, e no mínimo Diário de Um Confinado, nova série de humor da Globo e Globoplay,faz as vezes dessa válvula com maestria. A Série protagonizada e roteirizada pelo Bruno Mazzeo,e dirigida por Joana Jabace, esposa do Bruno, debochou de forma nivelar com simplicidade e a pura realidade do atual momento, que assim como o protagonista Murilo, nos vimos obrigados a ficar trancados dentro de casa, do dia pra noite, tendo que se adaptar aos mais variados tópicos, assim como a série foi dividida.
Outro ingrediente interessante de Diário de um Confinadoé a agilidade. Os episódios de pouco mais de 12 minutos , não cansam, muito pelo contrário, deixa você louco pra ver o seguinte, o seguinte e quando você menos espera terminou . . . deixando aquela vontade de ver a próxima temporada o mais rápido possível. Cativa mesmo! O Senso de responsabilidade da Pandemia também nãofoi esquecido. A série foi praticamente toda gravada no apar…

Enquete: Éramos Seis (1994) x As Pupilas do Senhor Reitor (1994). Qual você acompanhou e mais gosta?

Dois clássicos apresentados na teledramaturgia do SBT nos anos 90 - as novelas Éramos Seis,do Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, baseada no romance homônimo de Maria José Dupré e As Pupilas do Senhor Reitor, do Lauro César Muniz, baseada no romance homônimo do Júlio Diniz. Aquele ano de 1994 foi sem dúvidas o melhor para o SBT. Ambas as produções são citadas como uma das melhores e bem produzidas, com um elenco estrelar, que deu vida a personagens que marcariam para sempre a história da teledramaturgia. Eu confesso que não consigo escolher qual a melhor. Cada uma tem seus atrativos em comum e pontuais, enfim é uma tarefa difícil, mas vejam se podem se decidir.
·Éramos Seis (1994)
·As Pupilas do Senhor Reitor (1994)

Veja Também: Fonte: Texto : Evaldiano de Sousa

Meus Personagens Favoritos da Marina Ruy Barbosa

No auge dos seus 25 anos, Marina Ruy Barbosa é no mínimo um dos rostos mais conhecidos da sua geração. Com uma legião de seguidores nas redes sociais, é uma das artistas que mais vende, tendo seu sendo sinônimo de marcas como Eudora, Renault, Pantene, Colcci, Vivara entre outros, mas a cimade tudo Marina já pode ser considerada uma das melhores atrizes da sua geração também, sem sombra de dúvidas. Marina começou a atuar ainda criança, onde já chamava atenção, tanto pelas sardas e o cabelo ruivo, sua marca registrada, como pelo talento. Seu primeiro trabalho na tv foi em 2004, na trama de Começar de Novo,do autor Antônio Calmon e da Elizabeth Jhin, mas seu primeiro destaque na tv mesmo, ainda criança,foi a cativante Sabina de Belíssima(2005). Na trama,a menina viveu cenas emocionantes e fortes em parceria com Claudia Abreu, que vivia sua mãe, e Fernanda Montenegro, sua avó.



Criação da Globo, a atriz vem seguindo uma carreira estrelar na emissora, já tendo atuado em produções como Escrit…

Trilha Sonora Eterna – Felicidade Internacional (1991)

Em 1991,  Manoel Carlos  voltava à Globo com a trama de Felicidadeno horário das seis, oito anos depois  de ter saído pós a  traumática Sol de Verão(1982),  que culminou na morte do   protagonista e amigo do autor, Jardel Filho.         Baseada na obra  e universo  dos personagens  de Aníbal Machado como os contos Tati, a Garota , A Morte da porta-estandarte, Viagem aos seis de Duília e O PianoManoel Carlos voltou a falar do cotidiano e dramas simples e complexos envolvendo os vários tipos de perfis humanos , um estilo que ele iniciou em Baila Comigo (1981) e se perpetuaria em  tramas seguintes como História deAmor(1995), Por Amor (1997) , Laços de Família(200) entre outras. A Novela teve duas fases - a primeira que marca o encontro de Helena (Maitê Proença) e Álvaro (TonyRamos) emVila Feliz,Minas Gerais,estendeu-se até ocapítulo 79.Mesmo apaixonada por Álvaro, Helena casa-se com o engenheiro agrônomo Mário (Herson Capri). O Casamento dos dois fracassa e Helena fica grávida de Álvaro,…

e10blog no Instagran e no Twitter

Olá pessoal , a partir deste mês de marçoo e10blogentra oficialmente no Instagran e no Twitter. Na verdade nesses sete ano de e10blog sempre divulguei os post´s atravésdas minhas redes particulares @Evaldiano no Twitter e @evaldianodesousa no Instagran, mas a partir de entãoapesar de continuar divulgando lá, espero que vocês nos sigam também nas redes oficiais. Sigam lá !!!




Fonte: Texto: Evaldiano de Sousa

Trilha Sonora Eterna – De Corpo e Alma (1992)

Muito antes de passear por culturas diferentes e países distantes, Glória Perez mostrava os avanços da ciência através das suas novelas. Em 1990, marcou o horário das seis com Barriga de Aluguele graças ao sucesso da trama foi elevada ao posto de autora do horário nobre com De Corpo e Alma. A novela contava a história de amor entre Paloma, vivida pela Cristiana Oliveira, que chegava a Globo com ares de grande estrela depois do sucesso em Pantanal(1990), naextinta Rede Manchetee Diogo (Tarcísio Meira) a partir de um transplante de coração. Infelizmente a novela ficou marcada por uma tragédia. Em 28 de Dezembro de  1992, Daniela Perez  filha da autora e que vivia a personagem Yasmin na trama, foi brutalmente assassinada por seu  companheiro de trabalho, o ator Guilherme de Pádua, que vivia o personagem Bira. O Crime chocou e comoveu  o país.  Glória Perez, mesmo destruída pela perda da filha, ficou apenas  uma semana,e conseguiu concluir a trama, que até então é pouquíssima citada na hi…